Buscar
  • Carolyne F

A vida segue sem garantias




É estranho como tudo acontece. A minha vida segue numa câmera lenta que me paralisa por infinitos anos. E, quando, eu realmente consigo me mover, eis que o tempo passou numa velocidade absurda, e a distância - entre mim e as pessoas - torna-se irrecuperável.


Penso nos abraços que não dei.

Nas conversas que evitei.

Nos sentimentos que escondi.

E principalmente no medo que desperdicei.


É estranho essa forma que nos prende aos detalhes insignificantes. Medindo forças com fantasmas do passado que teimam em nos assombrar.


Penso em como sou tola a cada vez que volto aqui

apenas para constatar que...

passou.


Reviso acontecimentos que já não tem mais importância alguma

e os conserto mentalmente,

numa tentativa irracional de resolver pendências

que só existem na minha cabeça.


Ah, como é estranho encontrar pessoas e senti-las como se nunca tivessem partido. E, de repente, perceber que tudo mudou, nada restou, só o vazio. Queremos abraçá-las, somente abraçá-las. Conversar sobre a vida. Mas permanece o silêncio, ausência de laços, a distância do tempo.


Assim como é tão estranho receber um amor que não pedimos, que não conquistamos, que não fizemos absolutamente nada para recebê-lo e continua ali... e olhamos para ele, com o mesmo nada, o mesmo vazio. Até tentamos quebrá-los, distanciá-lo, mas ele continua ali, insistindo... tentando um abraço que não conseguimos retribuir.


No fundo, a gente sabe como isso termina. Mas prefere se repetir porque não quer aceitar o estranho desconcerto da vida.


Deixar ir...

O passado...

Tudo o que já foi e não volta mais.


A vida segue sem garantias.

Há perdas.

Há ganhos.


(Sem data)


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

(41)

Adíos